Impotência e próstata

O câncer de próstata é uma doença maligna que tem a maior incidência no público masculino do mundo inteiro, exceto pelos casos de câncer de pele.

A estimativa é de haja o diagnóstico de cerca de 1.300.00 novos casos a cada ano no mundo todo.

Nos países mais avançados, o problema comumente é diagnosticado ainda nos estágios iniciais. Por outro lado, nos países em desenvolvimento, a doença costuma ser descoberta já es estágios mais avançados.

O fato é que os homens que sofrem de câncer de próstata têm a impotência sexual como uma de suas principais preocupações, bem como os médicos que ficam responsáveis pelo tratamento,

Estudos médicos demonstram que já uma ampla variação na ocorrência desse tipo de efeito colateral, com índices que variam de 7% a 90% dos casos que são tratados com radioterapia ou cirurgia.

Essa grande variação nos resultados acontece por que existem muitas variações que acabam dificultando a comparação entre diferentes grupos de pacientes.

Por isto muitos médicos recomendam o uso de Cura Prost após os 40 anos, pois ajuda a diminuir o tamanho da próstata e desta forma quase eliminar em 100% o risco de ter problema de câncer ou outro que possa causar impotência.

Assim, existem diferenças tanto entre as informações coletadas quanto também de um paciente para o outro, além de diferenças etárias, condições, grau da doença, experiencia da equipe médica e etc.

No entanto, o que fica bem claro é que a impotência sexual é um evento considerado multifatorial e que o risco de ocorrência é algo que deve ser debatido de forma individualizada, analisando cada caso isoladamente.

Em algumas situações menos frequentes, a impotência ainda pode ser um sintoma inicial do câncer de próstata. No entanto, isso acontece quando a doença provoca o rompimento dos limites da cápsula prostática e se infiltra nos nervos que ficam em torno da próstata, responsáveis pela condição dos estímulos ao pênis.

Impotência é sempre sinal de câncer de próstata?

Não, a queda do desempenho sexual também pode ocorrer por causa do processo natural de envelhecimento do organismo masculino e, na grande maioria das vezes, não tem relação com a presença de um câncer na próstata.

A ereção também pode ser influenciada pela diminuição do desejo sexual ou da libido, que é algo relativamente comum e pode acontecer por variadas causas, é nestes casos que Sperm Control funciona e seu uso é recomendado.

O fato é que a perda do desejo pode ser influenciada até mesmo por questões psicológicas, incluindo o abalo causado pelo tratamento de um câncer de próstata, bem como pela utilização de alguns medicamentos que reduzem os níveis de testosterona para reduzir o risco de crescimento das células cancerígenas da próstata.

No caso de câncer, quando há a infiltração do nervo, como já foi explicado, pode-se fazer uso de medicamentos orais e também de vasodilatadores injetáveis, bem como de próteses flexíveis.

Alguns erros que nos impedem de emagrecer

Só quem tenta perder peso sabe que essa não é tarefa das mais fáceis, tanto que algumas pessoas seguem diferentes e restritivas dietas, fazem exercícios extenuantes, contam calorias a cada refeição, entre outras coisas e, mesmo assim, não conseguem emagrecer.

O fato é que a obesidade não é mais um problema apenas estético, de acordo com a  Organização Mundial da Saúde, ela quase triplicou nos últimos 40 anos.

Mas, o que muita gente não sabe é que alguns hábitos que praticamos diariamente é que podem estar sabotando a nossa dieta.

Não acredita? Pois então, confira alguns desses hábitos que podem ser os grandes vilões de qualquer dieta e o pior, alguns até, em vez de emagrecer, podem resultar em alguns quilos extras!

Quer saber quais são? Então, confira!

  • Não dormir o suficiente

Noites mal dormidas podem lhe ajudar a engordar. Pois é, e isso porque quando você está cansado, a tendência é fugir de qualquer exercício ou atividade, e o resultado aparecerá na balança. Ou seja, além de não se exercitar, a falta de sono ainda pode retardar o metabolismo. A dica é procurar dormir, pelo menos, 7 horas todos os dias.

  • Pular o café da manhã

Segundo um estudo, realizado com 350 adultos, pessoas que tomam café da manhã tendem a ganhar menos peso do que aquelas que pulam essa refeição. Realmente, faz sentido, já que pulando essa refeição, provavelmente, chegará com muito mais fome à refeição seguinte, o almoço, comendo mais do que deveria.

Em vez de fazer isto, o ideal é comer várias vezes ao dia, mas optando por porções pequenas, se você não se sentir saciada ou tiver muita dificuldade para fazer isto o emagrecedor Cuperine pode te ajudar:

CLIQUE AQUI PARA COMPRAR CUPERINE NO SITE OFICIAL

  • Beber pouca água diariamente

Um hábito ainda subestimado, mas a verdade é que beber água ajuda a queimar calorias, auxiliando na perda de peso. De acordo com um estudo com mulheres obesas, foi observado que beber mais de um litro de água por dia pode ajudar a perder até 2 quilos em um ano. Por isso, a dica é andar sempre com uma garrafinha de água.

  • Comer muito tarde

Como já era de se deduzir, realizar refeições tardias engorda e isso porque ao se consumir algum alimento tarde da noite, ou de madrugada, o corpo não irá gastar essas calorias já que estará em repouso, na verdade, o efeito é o oposto, irá armazená-las como gordura, em vez de queimá-las.

  • Tirar a gordura do cardápio

Acredite, tirar totalmente a gordura da dieta, pode parecer mentira, mas pode levar a um ganho de peso, e isso porque ao tirar esse componente da dieta só vai nos deixar mais famintos, nos forçando a comer demais. E não é só isso, eliminar a gordura nos impede de absorver cálcio e as vitaminas A e D. 

  • Não prestar atenção ao que come

Muita gente ignora, mas se distrair durante as refeições só faz você ingerir mais alimentos, dizem os pesquisadores. Por isso, evite se alimentar enquanto assiste suas novelas, séries ou navega pela internet. A dica é prestar

atenção à sua refeição para que tenha um melhor controle sobre a quantidade de comida consumida e mastigue corretamente.

  • Consumir muito álcool

Consumir bebidas, como cerveja, por exemplo, só vai contribuir para aumentar a gordura abdominal, já que álcool engorda. Portanto, diminua o número de cervejinhas se quiser, realmente, diminuir suas medidas.

  • Passar muito tempo sentada

Estudos confirmam que a obesidade está relacionada ao sedentarismo. Por isso,  a recomendação é procurar se movimentar a cada 60 ou 90 minutos. Nesse sentido, procure fazer exercícios na cadeira, suba escada, caminhe um pouco, adicione mais movimentos à sua rotina.

Conheça algumas complicações das varizes

Mais do que, simplesmente, uma preocupação estética, as varizes costumam tirar o sono de muita gente, e isso porque, infelizmente, além de feias, elas doem. Quer saber mais sobre esse problema que atinge grande parte da população? Então, continue lendo.

Embora seja um problema comum, as temidas varizes, além de causar danos estéticos, também trazem problemas circulatórios, por isso, não devem ser subestimadas, é preciso procurar a ajuda de um especialista, um médico angiologista.

O fato é que, justamente, por serem subestimadas, surgem as principais complicações com as varizes, pela devida falta de atenção à doença.

Por isso, ao perceber qualquer sintoma da doença, além do estético, tais como dor, inchaço, sensação de peso e cansaço nas pernas, é fundamental procurar imediatamente a ajuda de um especialista para avaliar o caso e indicar o tratamento adequado, um produto muito usado para aliviar a dor das varizes é o varigold que é um creme a base de produtos naturais.

Vale ter em mente que se as varizes não forem devidamente tratadas, o organismo pode responder de várias formas, sendo colocado em risco, principalmente se for afetado por alguma das principais complicações das varizes. Tais como:

  1. Tromboflebite superficial

Muita gente não sabe, mas a popular trombose é um termo usado quando se desenvolve, nas veias das pernas e coxas, um ‘trombo’, um coágulo sanguíneo, entupindo a passagem do sangue.

Em algumas situações, não muito sendo muito comum, um pequeno coágulo pode se desprender e correr pela circulação até chegar ao pulmão, causando a Embolia Pulmonar, que pode vir acompanhada de dor no peito, tosse, cansaço, falta inesperada de respiração e, em casos mais graves, até a morte súbita.

  1. Dermatite ocre

É quando o sangue acumulado nas veias extravasa, manchando a pele das pernas com uma cor acastanhada, como ferrugem.

Na verdade, essa cor tem relação com o ferro contido nos glóbulos vermelhos, que ao se romperem, liberam hemoglobina, alterando a coloração da pele, naquela região.

  1. Úlceras venosas

As úlceras venosas causam muita dor e são bem complexas de tratar, elas surgem como consequência do agravamento da insuficiência venosa crônica, deixando feridas abertas as quais exigem cuidado especializado.

Para evitar que essas úlceras retornem, é preciso que os cuidados continuem após o tratamento, assim como o devido acompanhamento, que deve ser permanentes.

  1. Insuficiência venosa crônica

Esse problema pode surgir, na maioria das vezes, entre mulheres com idade mais avançada, e pode ter relação com o número de gestações dessas mulheres, assim como a obesidade e o histórico familiar.

Dentre os principais sintomas dessa doença podemos citar dor, coceira, formigamento, queimação, fadiga, cãibras musculares, inchaço e sensação de peso.

Diagnóstico

Cada caso é um caso e, justamente, pelo fato das veias possuírem diferentes espessuras, após o diagnóstico médico que será possível saber como as varizes serão tratadas, geralmente, levando em conta o calibre de cada vaso e os sintomas apresentados pela paciente.

Tratamentos

Hoje já é possível contar com variadas opções de tratamentos, com excelentes resultados, dentre os mais indicados podemos citar a Escleroterapia (substância química injetada dentro da veia), lasers e radiofrequências,  espuma densa ou procedimentos que combinem as técnicas são excelentes opções.

Porém, vale destacar que, em alguns casos, as cirurgias podem ser indicadas.

Nunca é demais lembrar que o diagnóstico e o tratamento devem ser realizados sempre com angiologistas e cirurgiões vasculares.